Os direitos das mulheres estão sendo atacados mais uma vez e precisamos dar uma resposta ao parlamento político, composto por um número expressivo de fundamentalistas religiosos, que apoiam absurdos como o PL 1904/24, conhecido como PL da Gravidez, proposto por Sóstenes Cavalcante (PL/RJ).

O Projeto de Lei equipara o aborto a partir de 22 semanas a homicídio, mesmo em casos permitidos por lei. Com isso, um abusador, se preso, pode ser condenado a até dez anos de detenção, enquanto a vítima de estupro e o médico que interrompa a gestação, após 22 semanas, podem enfrentar até 20 anos de prisão.

📈 Em 2022, o Brasil registrou o maior número de estupros e estupros de vulnerável da história, com 74.930 vítimas. A cada 10 vítimas, 6 são crianças com idade entre 0 e 13 anos, a maioria são abusadas por familiares e outros conhecidos.

A bancada evangélica, em peso, é favorável ao PL 904/24. Enquanto dizem defender as crianças, estão incentivando a cultura do estupro, tão enraizada em nossa sociedade, e protegendo os estupradores. Ao criminalizar a mulher ou a criança vítima de estupro, estaremos violentando mais uma vez os seus corpos.

O Projeto pode ser votado a qualquer momento, sem passar pelas comissões e sem tempo para ser debatido, já que a Câmara dos Deputados aprovou urgência para a votação do projeto. Portanto, precisamos agir rápido para não permitirmos que ele seja aprovado!

📢 Vamos às ruas, mostrar para os congressistas e para o presidente da Câmara, Arthur Lira, que nossas vidas não são moeda de troca! Em Natal, o ato será em frente ao Midway, neste sábado, 15/06, a partir das 14 horas.

⚠️ Para ajudar a barrar esse absurdo do PL 1904/24, contribua para o abaixo-assinado Criança Não é Mãe, em: https://criancanaoemae.org/

Comente pelo Facebook