História

/História
História 2018-04-24T23:08:01+00:00

NOSSA HISTÓRIA

1979 – Organização 1979 – Organização
1988 -Constituição 1988 -Constituição
1991 – Fundação 1991 – Fundação
1996 – Desvinculação 1996 – Desvinculação
1998 – Independência 1998 – Independência
1999 – Fortalecendo 1999 – Fortalecendo
Greves Greves
Direções Passadas Direções Passadas

1979 – Organização

Todo “algo novo” que se cria, antes de nascer de forma concreta, é antecipado por uma ideia, por um projeto, enfim, por um processo de construção gradual. Com a criação do sindicato não foi diferente. Anos antes da sua fundação
em 1991, na Universidade Federal do Rio Grande do Norte – UFRN, já existia um movimento entre os trabalhadores que iniciou timidamente e ganhou força com o passar do tempo. Nesse momento, começava-se um trabalho de
conscientização política dos servidores da universidade de uma forma geral, incluindo-se técnicos e docentes.

1988 -Constituição

Em 1988, a Constituição Federal afastou a restrição prevista na CLT, garantindo ao servidor público civil o direito à associação sindical. A regra constitucional veio a legitimar um movimento já existente, uma vez que os servidores públicos se aglutinavam em associações não reconhecidas como entidades sindicais, embora agissem muitas vezes como tais. E foi exatamente nesse momento que trabalhadores de todo o Brasil puderam discutir a criação de sindicatos no serviço público.

Na verdade, o sindicalismo no setor público já existia, não formalmente, mas através da intervenção interna e externa das “associações de servidores” – formalmente com natureza civil, de caráter beneficente – ou outras formas de organizações diversas da figura “clássica” do sindicato. No caso da UFRN, quem cumpria esse papel era a Afurn. Nesse cenário, o grupo formado por servidores da UFRN, militantes de várias forças políticas começou a se reunir no ano de 1988, mas com a finalidade de concretizar a criação de um sindicato.

1991 – Fundação

Após o avanço das discussões, finalmente no ano de 1991 pôde-se concretizar o projeto de criação de um sindicato. A decisão final foi criar uma seção sindical, na já existente Afurn, que repassaria 20% de sua arrecadação para o sustento desse novo “braço”. O ano de fundação foi um ano difícil, em virtude da conjuntura da época. No dia 12 de abril daquele ano foi realizado o 1º Congresso Estadual dos Trabalhadores em Educação do 3º Grau, no auditório
da Reitoria, ocasião do nascimento de fato do SINTEST/RN. A direção provisória foi montada a partir das pessoas que estavam envolvidas no propósito da criação da entidade desde 1988. O modelo de diretoria foi baseado no da Fasubra, com três coordenadores gerais, tesouraria, oito secretarias e suplência. Inclusive, nesse mesmo congresso, ficou decidida a filiação do sindicato à Fasubra.

A realização da eleição da Diretoria Provisória do SINTEST-RN teve início às 18h30, tendo como componentes da mesa de trabalho. Gilberto Florentino – presidente, Fátima Maria Barbosa Morais – secretária e Raimundo
Barra – relator. O presidente apresentou à plenária a chapa única […] A escolha da diretoria provisória foi efetuada através da apresentação do crachá , pelos congressistas, de acordo com a decisão tomada pela plenária.
Concluída a votação, a chapa foi eleita por ampla maioria de votos, com cinco abstenções, nenhum voto contra e duas declarações de votos […] após as declarações de voto, o Presidente da comissão eleitoral deu posse à diretoria
provisória eleita encerrando em seguida as atividades do processo. (Trecho da ata de fundação do sindicato, 1991)

1996 – Desvinculação

A dificuldade em se manter o sindicato nos primeiros anos era tamanha que não foram poucas as vezes em que os dirigentes fizeram rateios e cotas entre si para financiar necessidades do sindicato. Pensando em mudar
essa realidade, no intuito de buscar a sua independência e sua autonomia, no V Consintest – Congresso Estadual do SINTEST/RN – realizado em dezembro de 1996, a categoria aprovou a desvinculação do SINTEST/RN da Afurn. Nessa ocasião, o estatuto foi todo alterado e ficou acertado que durante seis meses a Afurn continuaria repassando 20% de sua arrecadação, até o sindicato conseguir autonomia financeira e administrativa. Vale lembrar que até aquele momento o SINTEST/RN sobrevivia exclusivamente dos repasses feitos pela associação. Para alguns, sair da Afurn soava como ser expulso de sua casa, ficar órfão. Já para outros, essa desvinculação seria o passo mais importante, depois da fundação.

1998 – Independência

O período de transição foi mais difícil e conturbado do que se esperava. O SINTEST/RN passou ainda um bom tempo funcionando no prédio da Afurn e recebendo os repasses – cerca de um ano a mais do que os seis meses previstos – até que todo processo de reestruturação fosse completado. As primeiras sindicalizações começaram a ser feitas na própria Afurn, no primeiro semestre de 1997. Mas as mudanças só vieram mesmo no ano de 1998. Historicamente esse foi o momento mais importante da vida do sindicato. Com a ajuda do então Prefeito do Campus, Joseleno Marques, mudou-se para a Casa de Pedra, localizada na Praça Cívica da UFRN do Campus Central, sem nenhum custo.

1999 – Fortalecendo

Durante o prazo estabelecido pela Afurn para o fim dos repasses, a luta do SINTEST/RN foi buscar suas próprias sindicalizações. A essa altura, o sindicato já estava estabelecido politicamente como entidade, reconhecido e
respeitado por toda comunidade acadêmica. Nesse cenário, a independência financeira foi só uma questão de tempo. Na verdade, um conjunto de fatores contribuiu para que a arrecadação do sindicato evoluísse de dois para dez
mil reais. Os dirigentes à época dividiram-se em grupos de três pessoas, com apoio da base, percorrendo setor por setor da UFRN, conquistando sindicalizações. O surgimento da ação jurídica dos 28% também ajudou nesse processo. O período em que o sindicato passou na Casa de Pedra foi muito importante, mas infelizmente outra mudança foi necessária. Com o tempo, percebeu-se que o local era muito quente, úmido, totalmente insalubre.
Além do mais as demandas aumentavam e o espaço já se tornara insuficiente. Então, em 2002 o sindicato passou a funcionar em uma casa alugada na Rua das Hortências, em Mirassol, onde permaneceu até julho de 2009.

Greves

Desde sua fundação, o SINTEST/RN atua fortemente nas lutas da categoria dos técnicos como também nas da categoria do serviço público em geral. Trilhando esse caminho, o sindicato participou da Greve Geral ainda em 1991. Em 1998,  se uniu a categoria na luta pela paridade entre ativos e aposentados, saindo vitorioso. No ano de 2001, a luta foi pela incorporação da GAE – Gratificação de Atividade Executiva. Um vitória especial, já que a categoria de técnico-administrativos foi  a única a conquistar tal feito no Governo FHC.

O ano de 2004 foi marcado por uma greve de quase três meses, tendo como resultado a aprovação do Plano de Carreira (PCCTAE), reivindicação da categoria há mais de 10 anos.  A luta continuou nos anos seguintes, com greves em 2005 e 2007. Nessa última, os técnicos de todo país paralisaram as atividades por cem dias, resultando na assinatura do Termo de Compromisso que garantiu  elevação do piso salarial e do teto,  implementação do Auxílio Saúde ainda em 2007 e a manutenção da paridade. Outra luta perdurou por anos foi a tentativa de derrubar o Projeto de Lei que transformava os Hospitais Universitários em Fundações de Direito Privado, a qual também obteve êxito. As lutas mais recentes deram conta de lutar contra o congelamento salarial por 20 anos e contra as reformas trabalhista e previdenciária, esta última em andamento.

Direções Passadas

Coordenadores
Getúlio Marques Ferreira
Jair do Nascimento
Francimar Honorato dos Santos

Tesoureiros
Paulo Ferreira de Lima
Luís Miguel da Silva

Secretaria Geral
Dulce Leda Montenegro

Secretaria de Organização
José Rebouças da Costa

Secretaria de Política Sindical
José Serafim da Costa

Secretaria de Formação Política
José Gilberto Dias Xavier

Secretaria de Divulgação e Imprensa
Risoleide Rosa Freire de Oliveira

Secretaria para Assuntos Jurídicos
Maria Aparecida A. de Oliveira

Secretaria de Cultura
Carlos da Costa Eufrásio

Secretaria de Integração
Vital Nogueira de Souza

Suplentes
Francisco de Assis da Silva
Henry Hudson da Silva
Maria das Graças Barbosa de Morais

Conselho Fiscal
Manoel Euflausino Pereira Filho
Sérgio George de Oliveira
João Adelino da Cunha

Coordenadores
José Rebouças da Costa
Maria das Graças Barbosa de Morais
Francimar Honorato dos Santos

Tesoureiros
Francisco José de Moura
Ismael Martiniano Silva

Secretaria Geral
Ubirajara Fidélis de Lima

Secretaria de Organização
Dulce Leda Montenegro

Secretaria de Política Sindical
João Batista de Souza Costa

Secretaria de Formação Política
José Serafim da Costa Filho

Secretaria de Divulgação e Imprensa
Risoleide Rosa Freire de Oliveira

Secretaria para Assuntos Jurídicos
Alexandre Magno A. de Souza

Secretaria de Cultura
Fátima Maria Barbosa de Morais

Secretaria de Integração
Ieda de Lima Firmo

Suplentes
Henrique Alonso de A. R. Pereira
Tomaz Sarto Pires de Albuquerque
Ana Maria de Oliveira

Coordenadores
Dulce Leda Montenegro
José Anchieta de Freitas
José Serafim da Costa Filho

Tesoureiros
Ismael Martiniano Silva
Conceição de Maria Carvalho Caldas

Secretaria Geral
Regina Maria R. Pinheiro Spinelli
Maria de Fátima Bruno da Mota

Secretaria de Formação e Política Sindical
Francimar Honorato dos Santos
Manoel Santa Rosa M. da Silveira

Secretaria de Imprensa e Cultura
Omiro Batista da Silva
Francisco Canindé de Macedo

Secretaria para Assuntos Jurídicos
Ubirajara Fidélis de Lima
Carlos Bertoldo

Secretaria de Integração
Manoel Euflasino Pereira Filho
Maria da Guia M. Gomes da Silva

Coordenadores
Ismael Martiniano Silva
Maria das Graças Barbosa de Morais
José Anchieta de Freitas

Tesoureiros
Tomaz Sarto Pires de Albuquerque
Aldo Paulino de Medeiros Júnior

Secretaria Geral
Fátima Maria Barbosa de Morais
Severino Dionísio Filho

Secretaria de Formação
e Política Sindical
Luiz Gonzaga Medeiros Bezerra
Márcia Maria Rodolfo de Albuquerque

Secretaria de Imprensa e Cultura
Edilson Cosme Tavares
Luciano Galvão Freire Júnior

Secretaria para Assuntos Jurídicos
Antônia Salete Cavalcante Sabóia
Francisco de Assis Silva

Secretaria de Integração
Herotídes de Oliveira Figueiredo
João Adelino Alves da Cunha

Coordenação Geral
Maria das Graças Barbosa de Morais
Ismael Martiniano Silva
Manoel Santa Rosa Macedo da
Silveira

Secretaria Geral
José Anchieta de Freitas
Severino Dionísio Filho

Diretoria Financeira
Maria de Fátima Bruno da Mota
Conceição de Maria C. Caldas

Diretoria de Formação e Política Sindical
Maria Nazaré Batista
Manoel Euflausino Pereira Filho

Diretoria de Imprensa e Divulgação
José Rebouças da Costa

Diretoria para Assuntos Jurídicos
Ricardo Sérgio Alves Lago
Francisco das Chagas A. Nascimento

Diretoria de Integração
José Niepce de Farias
Francisco Lourenço da Silva Filho

Diretoria para Assuntos Sócio-Culturais
Maria de Fátima S. Cardoso da Silva
Sônia Leite

Diretoria para Assuntos dos Servidores Inativos
Vera Lúcia Mariano
Ana Maria de Oliveira

Coordenação Geral
Maria das Graças Barbosa de Morais
Dulce Leda Montenegro
Joseleno Marques

Coordenador de Finanças
Aldo Paulino de Medeiros Júnior
Maria de Fátima S. Cardoso da Silva

Coordenadores de Administração e Patrimônio
Ana Fernandes de Souza
Ilma Cléa Ferreira de Oliveira

Coordenadores de Comunicação
Olavo Bilac dos Santos
José Geraldo Farias

Coordenadores Jurídicos
Francisco Lourenço da Silva Filho
Francisca Elionete de Lima Rodrigues

Coordenadores de Educação  e Formação Sindical
Maria de Lourdes de Souza
Tomaz Sarto Pires de Albuquerque
Manoel Euflausino Pereira Filho

Coordenadores de Integração e Política Sindical
João Batista Souza Costa
Dorgival Firmino Costa

Coordenadores de Aposentados
José Gilberto Dias Xavier
Joana Nascimento da Costa
Maria Das Graças de Souza Silva

Coordenadores de Políticas Sociais
Edson Romão do Nascimento
João Adelino Alves da Cunha

Suplentes
Ivaneide Hermínio Coelho Lins
Valmir Francisco Cardoso
Ismael Martiniano Silva
Severino Gomes da Silva
Francisca Jane Lopes de Azevedo
dos Santos

Coordenação Geral
Maria das Graças Barbosa de Morais
Adauto Sabino de Bezerra
Sandro de Oliveira Pimentel

Coordenador de Finanças
Vânia Machado de Aguiar
Luiz Antônio do Nascimento

Coordenadores de Administração e Patrimônio
Márcia Maria Rodolfo de Albuquerque
Ivanoel Gomes de Morais

Coordenadores de Comunicação
Jorge de Tavares de Morais Filho
Floriano de Medeiros Neto

Coordenadores Jurídicos
Jane Suely Calafange Damasceno
Dulce Leda Montenegro

Coordenadores de Educação e Formação Sindical
José Geraldo de Farias
Maria de Lourdes de Souza
José Gilberto Dias Xavier

Coordenadores de Integração e Política Sindical
Maria Nazaré Batista
Genildo César de Oliveira

Coordenadores de Aposentados
Iêda Salviano de Oliveira
Maria Aparecida Dantas de Araújo
Luiz Ronaldo da Silva

Coordenadores de Políticas Sociais
Francisco de Oliveira Barbosa
José Zeferino Ferreira

Suplentes
Dorotéia Fernandes
Valmir Francisco Cardoso
Dorgival Firmino da Costa
Antônio Ulisses da Silva
Luiz Antônio Ferreira C. Neto

Coordenação Geral
Sandro de Oliveira Pimentel
Vânia Machado de A. Cunha Guerra

Coordenador de Finanças
Nilberto Ferreira Galvão
Luiz Antônio do Nascimento

Coordenadores de Administração
e Patrimônio
Valmir Francisco Cardoso
Luciano Carlos Ribeiro

Coordenadores de Comunicação
Edson Nascimento de Lima
Maria Margarete Lima de Araújo

Coordenadores Jurídicos
Jane Suely Calafange Damasceno
Ismael Martiniano Silva

Coordenadores de Educação
e Formação Sindical
Ana Cristina Medeiros de Araújo
José Messias da Silva

Coordenadores de Integração
e Política Sindical
Francisco Lourenço da Silva Filho
Luiz Ronaldo da Silva

Coordenadores de Aposentados
Alaíze de Paiva Martins
Carlos Alberto da Silva

Coordenadores de Políticas Sociais
Maria Aparecida Dantas de Araújo
Maria da Conceição Nascimento

Coordenação dos Trabalhadores Privados
Marcos Alcântara da Silva
Manoel Amâncio de Lira

Suplentes
José Fernandes de Lima