A crise econômica brasileira se arrasta com altos níveis de desemprego e um aprofundamento da crise de representação política. Em entrevista ao Jornal Brasil de Fato, o economista Eduardo Moreira declarou que medidas de Bolsonaro “Garantem lucro dos ricos e aumenta dependência dos pobres”. Para ele, “É um governo que aprofunda essa dependência, e nos trata como seres econômicos de planilhas de Excel”.

Recentemente Moreira tem se destacado por denunciar desmandos da elite econômica brasileira. Ele fez carreira no mercado financeiro e foi sócio do BTG Pactual (banco de investimento brasileiro que atua nos mercados de investment banking, wealth management e global asset management na América).

Sua participação na Comissão de Direitos Humanos, questionando os efeitos sociais da reforma da Previdência (PEC 06/2009), viralizou nas redes sociais. O ex-banqueiro também publicou um documento chamado “44 coisas que você precisa saber sobre a reforma da Previdência“.

De acordo com Moreira, o principal motivo da crise brasileira é a concentração de riquezas nas mãos de poucos e a única saída é distribuição de renda, o combate à desigualdade.

A reforma da Previdência de Bolsonaro, propagada como uma solução para a crise, teria dois objetivos: liberar recursos para pagamento de juros da dívida pública e condicionar trabalhadores brasileiros a trabalhar sem parar até morrer.

Da “economia” de R$1 trilhão nos primeiros 10 anos prometida pelo governo, 84% viria do INSS, onde ninguém ganha mais que o teto de R$5,8 mil e 90% ganha até três salários mínimos.

Informações: Brasil de Fato

Assista entrevista completa, em vídeo:

Comente pelo Facebook